DanaPeper's Blog


Interiores e etc…

Nessa última quinta-feira (24/09) foi a inauguração da  Mostra Officina Interiores aqui em Natal e eu fui lá checar as ultimas tendências em decoração que os arquitetos aqui do Nordeste estão seguindo. Bem, foi difícilimo fotografar porque o lugar estava um enxame de abelhas, eu mesma não consegui ficar lá mais do que 1 hora (calor + multidão = tchau), por isso tinha muita coisa boa que eu vi e não fotografei. E como em toda mostra de interiores, tem muita marmotagem que eu quero esquecer que vi…

O que eu fiquei mais impressionada é como essa onda retrô pegou mesmo, na minha opinião, pegou até demais. A maioria dos ambientes tinham uma poltrona barcelona ou uma eames. Nada contra, eu acho uma mais linda que a outra, mas sei lá, valia a pena o arquiteto dar aquela brechada no ambiente do outro pra não haver tantas repetições de peças. Já pensou você ir pra um desfile e você notar a mesma estampa em roupas de estilistas diferentes? Fikadika.

Outra vítima do retrô foi a tal da mesa tulip, tinha em quase todos os ambientes nas mais diferenciadas propostas: mesa de centro, mesa de canto, mesa de jantar…

Então, vamos dar uma olhadinha no que mais me chamou atenção na mostra e como diria a minha amiga Katylene, VEM COMEEEEEGO!

almofadas1

almofadas2

Eu confesso que tenho uma queda especial por almofadas e travesseiros. E essas duas me chamaram muita atenção, primeiro por elas serem inspiradas na cultura nordestina e segundo por elas não estarem num sofá. Eu tenho muita dificuldade em “assentar” as almofadas em qualquer lugar assim e achei muito interessante essas propostas fora do sofá. A primeira parece as coisas da rendeiras de Caicó e a segunda super lembra o tricô da vovó. Fofas!

Ps: Quase morro quando chego em casa e vi que não tirei fotos da Poltrona Boa onde a almofada de crochê está. Ela era simplismente LINDA! :~

IMG_4205IMG_4167

IMG_4178IMG_4185

Tenho uma paixão especial por iluminação, isso não é novidade nenhuma pra quem me conhece. Acho que a luz faz toda a diferença num ambiente, assim como eu acho que o design dos lustres é mais um item importantissimo na decoração. Os que estavam na amostra eram maravilhosos, você podia encontrar lustres tendo todo destaque no meio da mesa de jantar como dentro de um banheiro!

IMG_4203IMG_4169

Ainda falando em iluminação, achei essa parede um máximo com essas arandelas dispostas de um jeito onde a luz formada parece com um diamante lapidado. Outra achado foram essas luminárias em forma de cogumelo no ambiente Loft da arquiteta Adriana Melo.

IMG_4159

IMG_4162

IMG_4199IMG_4190

Oha a tendencia retrô ai gente!!! Barcelonas, Eames e Stern Bis pra ninguém botar defeito. Essa Barcelona que eu fotografei é um híbrido com aquelas poltronas quadradonas. Nessa última foto o ambiente da arquiteta Larissa Lyra tinha um espelho com uma tela trabalhada na frente parecendo aquelas grades desenhadas que é muito comum de se encontrar no interior, achei bem interessante pra sair um pouco da linha do espelho bizotado que tá tão na moda.

IMG_4180IMG_4194

As peças “quero-ter-um-desses-em-casa” que foram eleitas foi a cadeira de madeira no ambeinte da Mirtha Vargas e Régia Nobre que sem dúvida foi a peça mais linda da mostra (na minha opinião, of course). Eu já tinha visto essa mesma cadeira numa Arquitetura & Construção da vida e já tinha colocado um “post-it” na página pra quando eu pegasse um cliente ryco e phyno indica-la pro ambiente.  Minha alma hippie deu pulinhos de alegria quando eu vi que esse puff estava na mostra, eu sempre tive vontade de ter um desses no meu quarto e mamãe sempre dizia “Minha filha, os anos 70 já passaram”, eu agora irei comprar um assim que tiver alguns mil em caixa!!!!!

IMG_4164

Agora vamos ao meu ambiente preferido da amostra, que foi o Hall/Escada do Arquiteto Claudinê Lima, onde ele  montou o globo de espelhos no teto e trouxe a era Disco de volta. Eu ouvi muitos comentários ruins sobre ele, dizendo que era muito carregado, que ele exagerou, mas o bem da verdade eu aposto que todo mundo que disse isso pensou “poxa, eu queria ter pensado num negócio desses também…“, afinal de contas estamos numa mostra que a  finalidade do arquiteto é enxer os olhos de quem está vendo com “montações” diferentes do que se vê normalmente em qualquer loja de decoração. O que eu mais gostei é que o ambiente é completamente retrô sem uma cadeirinha barce/eames/ster bis e uma mesinha tulip, tão vista desde a entrada até a saída da Officina.

IMG_4176

O gatinho dormindo nessa poltrona maravilhosa (que eu nunca tinha visto o modelo antes e entrou pra minha lista de coisas que eu quero ter quando for ryca) era o chama pro ambiente. Todo mundo queria pegar no bichinho, eu não peguei, mas segundo Aline ele era duro, parecia que estava empalhado!

IMG_4174IMG_4184

Minha alma de RPGista quis roubar esse dadinho decorativo! O telefone laranja que com certeza todo mundo ja teve um de outra cor nos anos 80 (la em casa tinha um desses cinza esverdiado) tá super em alta pra quem gosta de um toque diferente no ambiente. O papel de parede com brilhinhos e estampa psicodélica também era lindo! Mas verdade seja dita,  é bem difícil uma pessoa ter um ambiente bárbaro desses numa casa, mesmo que de passagem.

IMG_4209

A escada era cheia de quadros com temas 60’tistas, arandelas quase na altura dos degraus, um corrimão duplo dourado fosco e muita miniatura nas prateleiras, indo de macaquinhos de pelúcia até santinhos de gesso.

IMG_4163

Uma coisa que eu vejo bastante em revistas de decoração e acabei vendo ao vivo e a cores na mostra foi isso: duas tv’s lado a lado. Alguém consegue me responder qual a finalidade disso? o.õ

Anúncios


Jukebox: The Cure
setembro 23, 2009, 12:03 am
Filed under: música | Tags: , , ,

Ok, ok. Quem sou eu pra falar do The Cure, né? Apenas mais uma fã babona pra vir ressaltar o quanto é bom. Nesses últimos dias quando o Dudu tava viajando pra Blumenau eu meio que cai na deprê de saudade e coloquei as mp3s do The Cure pra rodar, ai já viu, voltou o vício nos caras outra vez! Confesso que não faz tanto tempo assim que trombei com eles, eu tinha as músicas mais conhecidas (Close to me, Just like heaven…), mas eu não sabia da história, nem tinha a discografia dos moçoilos, acho que faz pouco mais de uns dois anos que conheci  a fundo a banda e acabei me tornando fã de carteirinha!

Pra quem não sabe (o que eu duvido) o The Cure é uma banda inglesa que nasceu na década de 70 com o intuito de dar uma nova cara pras músicas do David Bowie e Jimi Hendrix e pouco tempo depois, eles começaram a produzir o seu próprio material que tinha como principal influência do recém-nascido punk rock. Mas antes deles imaginarem ter seu merecido sucesso, a banda passou por muitas modificações, entre elas de nome (de The Obelisk pro Easy Cure e só ai pro The Cure) e integrantes. A bem da verdade que o único que ainda continua desde a década de 70 é o meu queridissimo Robert Smith!

The Cure tem um rock gótico, com letras melancólicas e poéticas, um apelo sombrio e obscuro, por assim dizer.  A melodia muda muito de acordo com o período dos discos, mas não se assuste se você estiver ouvindo um som animadinho enquando a letra é pura tristeza, é bem típico no som da banda.

O Rob (ííííííííííííííííntima) diz que foi muito influenciado pelos Beatles (ok, quem não é? Melhor banda de todos os tempos tem esse poder né gente?), Jimi Hendrix, David Bowie, Alex Harvey… E apesar dele ter essa cara de quem a qualquer minuto vai cortar os pulsos e pagar de emuxo, ele diz que a imagem não representa como ele realmente é, ou pelo menos não o tempo todo, ele escreve quando está se sentindo deprimido e por isso as letras são do jeito que são. Então Dona Mary Poole, esconda o Valium do maridíssimo pra ele continuar escrevendo tantas músicas legais, ok?

Melhor disco na minha opinião? Olha, sinceramente eu sou muito dividida entre Desintegration (1989) e Boys don’t cry (1980), pra mim são as duas obras primas do Robert Smith The Cure.

O último disco da banda foi lançado ano passado e se chama 4:13 Dream. Confesso que os discos durante e depois da década de 90 eu meio que não ouvi direito, não consegui me prender em quase nenhuma música, mas em compensação tudo dali pra baixo é completamente viciante pra mim.

Meu momento protofalei é que eu acho o Robert Smith hot nos anos 80, ok?

E depois do pulo, playlist de 15 músicas preferidas (que foi difícil no último escolher) da mocinha aqui! \o/

Continue lendo



Novas temporadas e outras coisinhas a mais

Eu sou uma viciada em séries, como já deu pra perceber, acompanho desde as mais “sérias” até as mais bobas e não tenho a mínima vergonha em assumir isso! E por isso estava contando os dias pra que esse povo de Hollywood deixassem de ser vagabundos e voltassem pros estúdios de gravação, nunca vi férias de tantos meses! Devia ser um mês só e olhe lá! Nós, meros mortais, muitas vezes temos férias de 15 dias enquanto eles passam 5 meses com as bundinhas magras pro ar…

Anyway, reprimindo a inveja e voltando ao assunto, algumas das séries que eu acompanho já voltaram: Fringe, Gossip Girl, 90210, One Tre Hill… E claro que eu já baixei tudo, e por incrivel que pareça a série que os escritores parecem que acertaram no teclado foi 90210. Eu sei, a temática é boberrima, mas foi a única que me tirou da cadeira… Eu não sei que merda fizeram com Fringe, pra mim toda a primeira temporada foi digna de ser dita que era a melhor série de todos os tempos! Ai eles vão e cagam o primeiro episódio da segunda! J.J. Abrams amigo, que merda você acha que está fazendo? Sim, estou revolta por minha série preferida ter voltado do jeito que voltou! *prontofalei*

Gossip Girl e One Tree Hill tá o mesmo de sempre… Eu acho que eles deveriam ter acabado One Tree Hill no final da 4º temporada quando os personagens iam pra faculdade… Na minha opinião, essas séries de adolescentes todas tem prazo de validade, quando eles dão um passo pra fora do High School é o momento certo pra dar um ponto final! Não sei porque diabos eles insistem em continuar! Gossip Girl tá bem perdidinho no meu ponto de vista, já não acabou essas coisas todas e essa nova trama tá… ZzzzZZzzzZZzz… Ah, desculpa, dormi.

Bem, baixei Vampire Diaries (medo!), mas confesso que não estou nenhum pouco afim de ver. A bem da verdade que eu já estou assistindo Buffy, a caça vampiros, porque eu adoro as tosqueiras e o humor rídiculo da série, então, basta só uma marmota por vez, né? Outra série que está na minha lista de baixe djá é Californication, todo mundo fala tão bem que eu estou super inclinada a ver nesse tempo de vacas magras de séries!

Agora vou esperar sair as outras séries: How I met Your Mother, Big Bang Theory, Private Practice, Lost, Heroes… Confesso que as duas últimas eu nem estou tão inclinada a assistir assim… Lost-sem-fim eu já não aguento mais e Heroes eu sempre torci pra que eles se juntassem e formassem tipo uma Liga da Justiça, mas acho que os meus sonhos não vão sair da minha cabecinha…

A bem da verdade é que eu fiquei super mal acostumada com 10 Things I Hate About You que teve os ultimos melhores episódios para todo sempre, por isso quero que todas as séries fiquem bombasticas e legais igual a ela!!!



Sonho de consumo da vida: The Beatles Rock Band
setembro 10, 2009, 11:40 pm
Filed under: jogos | Tags: , , , , , ,

Respira, inspira, respira, inspira. Ar pra dentro, ar pra fora, ar pra dentro, ar pra fora. Foi essa reação que eu tive ao ver o trailer de lançamento do The Beatles: Rock Band. É simplismente perfeito! É um ícone que todo colecionador fanático (seta piscando laranja fosforecente purpurinado em cima da minha pessoa, por favor) tem que ter. Com esses míseros 2:40 de trailer eu me arrupiei todinha, imagine ouvir as 45 músicas dentro do jogo e ver os novos vídeo clipes nessa animação perfeita que fizeram especialmente pro jogo!!! É bom demais da conta!! A vontade que deu foi de sair por ai roubando bancos (estoy li$a ao extremo depois da compra da 5D) e pedir em primeirissima mão da gringolândia o meu The Beatles Rock Band, juntamente com a plataforma (XBox, PS3 ou Nintendo Wii, tá valendo tudo!!), que eu não tenho! Eu sou um zero a esquerda em Guitar Hero, mas juro que dedicaria todas as minhas noites dissecando o jogo!!

Eu sei que o meu mode fanática esta super ativado nesse momento e muitos vão dizer “Que merda, que besteira, que louca”, mas só quem tem é realmente fã de alguma coisa vai me entender… Pros que não entende, veja o Trailer, é ache lindo!

Falando nisso…

O jogo foi lançando no dia 09/09/09, que é uma data bem superticiosa… Mas eu não estou aqui pra falar de distruição e agonia, tortura e riqueza (que pra mim mais parece uma sessão de Shadowrun), e sim, dos Beatles. No disco White Album (1968) dos Beatles havia uma faixa que sempre despertou muito interesse dos desconfiadinhos de plantão: Revolution 9, onde John repete Number Nine muitas vezes. Na época, todos especulavam que isso tinha haver com o boato da morte de Paul (alguém ainda acredita nisso?), dava pra ouvir batidas de carro, explosão, se colocar de traz pra frente (isso é tão Xuxa!) você entende o John falando outra coisa… Mas o que eu vi na Band News ficou na minha cabeça: Será que John teve uma epifania e estava prevendo o lançamento pro The Beatles Rock Band pra essa data? Ou foi já o pessoal da propaganda do jogo pensando em lançar uma nova lenda sobre os quatro rapezes e vender mais ainda? Mistério…



Evan Rachel Wood, eu sou sua fã!
setembro 10, 2009, 12:17 am
Filed under: futilidades | Tags: , , , , ,

Não sei se é boato ou se a informação procede, mas li no PapelPop que a Evan Rachel Wood ta namorando o Alex “Eric de True Blood” Skarsgard. Procurei nos sites de fofocas gringos pra ver se tinha algo mais e realmente a especulação tá grande! A moçoila conheceu o “omão” nos sets de gravação de True Blood, onde ela interpretou um episódio a Rainha dos Vampiros, Sophie-Anne, uma lésbica bem fútil que tá pegando a prima da Sookie. Um personagem bem sem gracinha pra falar bem da verdade, mas eu sempre gostei muito da ER Wood (desde os tempos de “Once and Again” e ela subiu mais uns 50 degraus da fama in my heart quando ela fez a Lucy em “Across the Universe”) e por isso acabei gostando da personagem também.

Como diria Katylene, “shorei sangue” com esse novo casal.  Mas deixei toda a minha raiva e inveja guardada no fundo do coração, porque o nome da pobre deve tá na boca de zilhões de sapos de todo mundo. Por isso eu super recomendo djá um banho de sal grosso pra tirar todo esse mau-olhado de cima da garota… Mas vai, eles fazem um belo (e põe belo nisso!) casal, né não?

E pra fechar, eu só digo uma coisa: É tão boba essa menina…



Resenha: Morto até o Anoitecer

– Contém spoilers!!!!! –

Estava em ansias para terminar logo de ler o livro e fazer uma resenha aqui. E hoje, mesmo com os olhos fechando (já eram mais de 4h da madrugada)  eu consegui ler as ultimas 20 paginas que faltavam!

Pra quem não sabe, esse é o primeiro livro dos “Vampiros do Sul” da escritora americana Charlaine Harris que deu origem ao sériado mais querido do momento: True Blood. Conta pelo ponto de vista da protagonista, Sookie Stackhouse – uma garçonete telepata, como é se relacionar com um Vampiro, Bill Compton, de mais de 100 anos de idade.

Mas tirando o romance apimentadíssimo (pra quem vê a série, sabe do que eu estou falando) de Sookie e Bill, o livro também retrata como fica a vida de americanos caipiras-sulistas  (também conhecidos como “rednecks”) de um cidade chamada Bon Temps quando descobrem que nesse mundo existem vampiros e eles decidem “sair dos caixões“, vivendo no meio de humanos normais, quer dizer, tentando viver, ou melhor, não vivendo, já que eles são criaturas que não respiram e não tem batimentos cardiacos.

Depois do aparecimento de Vampiro Bill, começa a acontencer uma onda de assassinatos em série contra “Vampirólogas” (mulheres que gostavam de transar com vampiros, por eles serem mais hot na cama do que os homens normais, e é claro, rolando aquela mordidinha de leve no pescocinho) e logo o xerife e o detetive da cidade desconfiam do vampiro recém chegado. Porém, Sookie que levava uma vida pacata (excluindo o fato dela ler mentes alheias) até o aparecimento do Vampiro Bill, com quem começa a ter uma amizade, logo rumando pra um namoro, não acredita no que os outros falam do seu vampirão e vai investigar esses assassinatos, mas mal sabe ela que é a proxima vítima.

Agora, é claro que vamos dar aquela comparadinha básica do livro com a série, né? O livro é todo escrito em primeira pessoa, tudo do ponto de vista de Sookie, o que é até legal, já que a Sookie do livro é muito mais interessante do que a da série, porém, no livro não tem muitos dos personagens que existe na série (alô, cadê a Tara? Cadê a Jessica?)  e  na série também tem alguns personagens que não existem no livro (Alô True Blood, ficou difícil achar um sósia do Elvis Presley pra fazer o Bubba?). E pra fechar, as cenas mais legais do seriado, com Jason (irmão da Sookie) é claro, não existe no livro.

Eu ainda não consegui decidir do que eu gostei mais, se foi do livro ou da primeira temporada de True Blood (o primeiro livro corresponde a primeira temporada). Os dois tem seus altos e baixos, mas no geral eu acho que cada um é bom ao seu modo. Talvez eu goste mais da série porque eu fico vendo aquele mar de homens lindos em cada take… * Suspiros intensos ao se lembrar de Eric*

Como eu adoro história com vampiros, indo de Anne Rice até a saga crepuscular de Steph Meyer, as Crônicas de Sookie Stackhouse foi uma super boa pedida pra mim. Mas eu confesso que se a pessoa estiver esperando ver/ler histórias de terror pra arrepiar todos os cabelinhos do braço, não leia nem assista a série, fiquem nos filmes de 80tistas de Drácula, nos cenários do RPG Vampiro, a máscara, e nas histórias de Anne Rice. Em True Blood/Vampiros do Sul não tem muito disso, você chaga muito mais a rir do que sentir medo, mas é muito interessante. Eu super recomendo!

Agora eu vou começar a ler o segundo livro da série, Vivendo Morto em Dallas, que é equivalente a segunda temporada de True Blood e assim que eu terminar de ler, esperem uma nova resenha por aqui!



Moto = Chão
setembro 2, 2009, 10:35 pm
Filed under: pessoal | Tags: , , , , ,

Meu excelentíssimo namorado teve um encontro com o chão (mais uma vez) no dia de ontem, quando estava voltando de Macau (cidadezinha aqui do interior) pra Natal… O por que? Bem, misto de azar com irresponsabilidade sob duas rodas: ele estava em alta velocidade numa estrada completamente esburacada e quando se deu conta, tinha uma cratera bem na sua frente, ai juntou a fome com a vontade de comer e não deu outra: CHÃO!

O pior é que o ele tem todos os equipamentos básicos de segurança que um motoqueiro deve ter: capacete, jaqueta, botas, joelheiras e luvas. E ele estava com quase todos, menos um, a luva, e foi a desgraça do pobre. Ele disse que não estava usando-as porque estava fotografando os locais por onde passava. O resultado da queda foi as mãos completamente raladas e inxadas. Ele está com outros hematomas também, mas são bem mais superficiais por ele esta usando os equipamentos…

Eu que já morria de medo de moto por uma queda que levei na infância, estou odiando cada dia mais.

Depois do pulo, algumas fotos da mão de Eduardo pra vocês que andam ou são simpatizantes de moto ficarem mais atentos e usarem os equipamentos de segurança. Eu não aconselho vocês clicarem caso tenha algum problema com feridas feias…

Continue lendo