DanaPeper's Blog


College of Rock – The freshman year
junho 1, 2010, 12:48 am
Filed under: RPG | Tags: ,

Aqui estou eu voltando a falar de RPG novamente! Eu estava pensando na verdade em continua o post falando mais sobre estrada da perdição, mas vou deixar isso pra uma outra vez e falar na minha primeira campanha (bem, na verdade já teve outra, mas ela acabou não dando muito certo…) de RPG intitulada de, adivinhem! COLLEGE OF ROCK – THE FRESHMAN YEAR!

Vamos fazer um resumo de como eu me inspirei pra criar a ambientação e personagens pra depois falar mais da história propriamente dita! Bem, tudo começou quando eu inventei de assistir o seriado Greek e me viciar completamente nele. Achei um máximo conhecer mais do sistema grego, que eu conhecia pouquissimo, e me apaixonar pelos personagens (bjomeliga  Cappie!) . Mas, como em toda série, ela tem seus altos e baixos e eu pensei “se fosse eu, faria assim e assado que seria bem melhor”.

Com esse pensamento, eu acabei conversando com o meu dignissimo e dizendo que ia fazer uns playtests inspirados em Greek pra minha nova campanha! Ele super se animou e se candidatou a ser o jogador (único, pois eu sou super mamona e tenha muita vergonha de mestrar pra mais alguém) cobaia! Mas, eu achei que essa vida só de greek system não ia ser interessante o bastante para prender a atenção de ninguém, então eu resolvi colocar mais um adicional: música!

Agora só faltava decidir onde seria no mundo a ambientação da história e acabei optando pela UMaine por ser um campus grande e o mais legal das pesquisas que eu fiz. Decidido isso e estudando bastante sobre Nova Inglaterra, Maine, Orono e suas cidades vizinhas e mapeando todos os pontos interessantes que seriam usados para a campanha, foi-se dada a largada para as outras definições: como unir música e sistema grego? A resposta me veio como um estalo e ela foi “que tal se as fraternidades/irmandades tivessem suas bandas?”. Perfeito! Fechou!

O próximo passo foi criar os nomes e mais ou menos uma historia das principais greek houses da UMaine (eu não usei nenhuma que existia, acabei inventando todas) e os personagens que iriam aparecer num primeiro momento para Jesse Collins, o nosso herói nerd e tímido que saiu de Concord para se provar que ele podia ser mais do que ele era naquela cidadezinha pequena da Nova Inglaterra, indo para a UMaine com a cara e a coragem (e sem seus amigos) conhecer mais do mundo e se conhecer também.

A primeira parte da história, que tem o nome de “The freshman year”, está contando a jornada do nosso garoto pela universidade: como ele acabou caindo de para-quedas com uma guitarra na mão para substituir o guitarrista da banda Psykay (que é a banda da fraternidade/irmandade mais popular da UMaine) e acaba descobrindo que o guitarrista na verdade é a guitarrista e que ela é a garota mais linda que ele já viu na vida; como ele acabou sendo abordado pelo vocalista dos Stigmatas (que é a banda da fraternidade mais bagunçada da UMaine) e fazendo um show no telhado da biblioteca inspirado no último shos dos Beatles no telhado da Apple e isso fez dele o garoto mais falado dentro daquele campus; como ele está começando a fazer as amizades mais especiais e importantes da vida dele… Enfim…

Como deu pra ver, não tem nada de lutas com espadas, sabre de luz ou pistolas, muito menos pessoas com super poderes. Eu resolvi fazer da minha primeira experiencia como narradora uma história sem grandes mistérios, só a vida de um adolescente se descobrindo na universidade e bem, o meu único jogador diz que está adorando!

E eu como narradora, também estou adorando criar essas situações mais rotineiras e estou me sentindo “a” escritora de séries da ABC Family! =D

Anúncios

1 Comentário so far
Deixe um comentário

Aliás, excelente escolha para seu primeiro RPG como narradora, Dana. E a coisa é assim mesmo – estórias mais “simples” (pois seja lá o que for, sempre dá um trabalho do cacete!) são as melhores para se começar, especialmente se for algo com que a gente se identifique. No seu caso, séries de TV sobre pessoas comuns com problemas comuns, em meio a muitas outras pessoas comuns, que no conjunto, formam uma estória extraordinária. Parabéns e meta o aço! E quando puder, conte-nos mais sobre a experiência…

Comentário por Petras Furtado




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: