DanaPeper's Blog


Novo x Antigo
janeiro 26, 2010, 7:16 pm
Filed under: arquitetura, compras, livros, pessoal | Tags: , , , , ,

O que me inspirou a fazer esse post foi um livro que eu comprei esse mês chamado As + importantes Edificações Contemporânea – Plantas, cortes e elevações do Rob Gregory que eu simplismente shorey m³ de concreto armado tamanha a perfeição! Primeiro, porque sou uma amante de carteirinha da arquitetura contemporânea e suas soluções high-tech pras novas construções e também porque eu tenho fé que eu ainda vou fazer um mestrado nessa área (sim, eu quero ser professora de arquitetura, pra quem ainda não sabe!). Ai eu me convenci que eu precisava dar mais de 100 reais no livro e comprei! Ah, no mesmo dia eu comprei outro livro de arquitetura contemporânea, totalizando quase 300 contos (ouch! meu bolso!) de livro!  E eu tive uma mega surpresa quando cheguei em casa e desembalei os danadinhos dos plasticos: a editora dava um CD com todas as obras em autocad. Sim, eu tenho todas as plantas da Prefeitura de Londres em Autocad no meu humilde computador, tá?

Anyway… Deixando os meus orgasmos multiplos de lado pelos livros e voltando a falar de arquitetura contemporânea, eu achei um capitulo do livro extremamente interessante que foi o de Inserções, Anexos e Ampliações, que fala e mostra muito do que foi uma das coisas que eu fiz no meu projeto de conclusão de curso. O livro mostra 14 projetos que uniram uma arquitetura antiga com uma contemporânea e ficaram super interessantes! Eu não posso dizer que não fica impactante, você vê um prédio todo antigo, cheio de “riquififes” e  sua extensão ser completamente moderna! Assim, apesar do impacto, eu acho isso um máximo pra quebrar toda a “pomposidade” (adoro inventar palavras!) de uma obra secular!

A obra que mais me chamou atenção foi o Museu Kunsthaus de Graz, na Áustria, criada pelo Peter Cook. Aqui dá pra você ter uma ideia melhor de como é a lateral dele, onde nessa foto ai só aparece o comecinho. Primeiro eu fiquei encantada com a plasticidade dessa membrana que com a iluminação a noite, dá impressão que ela está se movendo! Deve ser um show ver isso de perto…

Outro que eu achei um máximo também foi o Hotel Josef na República Tcheca, projeto da Eva Jiricna. A foto tá uma b*sta, mas não achei nenhuma melhor na internet… Mas foi super legal a solução que ela usou pra sombrear dentro dos novos quarto, parece um “toldo”. O hotel fica no centro histórico de Praga, a vista daí deve ser de tirar o fôlego! Ah, eu tenho que mostrar também a escada maravilhosa que ela fez pra esse projeto, claro.

Eu senti falta de algumas grandes obras (alow Robinho, cadê o Louvre?) nesse capitulo do livro, mas o CD com tudo em Autocad não me deixa reclamar de absolutamente NADA!

Falando nisso…

Continue lendo



Resenha: Morto até o Anoitecer

– Contém spoilers!!!!! –

Estava em ansias para terminar logo de ler o livro e fazer uma resenha aqui. E hoje, mesmo com os olhos fechando (já eram mais de 4h da madrugada)  eu consegui ler as ultimas 20 paginas que faltavam!

Pra quem não sabe, esse é o primeiro livro dos “Vampiros do Sul” da escritora americana Charlaine Harris que deu origem ao sériado mais querido do momento: True Blood. Conta pelo ponto de vista da protagonista, Sookie Stackhouse – uma garçonete telepata, como é se relacionar com um Vampiro, Bill Compton, de mais de 100 anos de idade.

Mas tirando o romance apimentadíssimo (pra quem vê a série, sabe do que eu estou falando) de Sookie e Bill, o livro também retrata como fica a vida de americanos caipiras-sulistas  (também conhecidos como “rednecks”) de um cidade chamada Bon Temps quando descobrem que nesse mundo existem vampiros e eles decidem “sair dos caixões“, vivendo no meio de humanos normais, quer dizer, tentando viver, ou melhor, não vivendo, já que eles são criaturas que não respiram e não tem batimentos cardiacos.

Depois do aparecimento de Vampiro Bill, começa a acontencer uma onda de assassinatos em série contra “Vampirólogas” (mulheres que gostavam de transar com vampiros, por eles serem mais hot na cama do que os homens normais, e é claro, rolando aquela mordidinha de leve no pescocinho) e logo o xerife e o detetive da cidade desconfiam do vampiro recém chegado. Porém, Sookie que levava uma vida pacata (excluindo o fato dela ler mentes alheias) até o aparecimento do Vampiro Bill, com quem começa a ter uma amizade, logo rumando pra um namoro, não acredita no que os outros falam do seu vampirão e vai investigar esses assassinatos, mas mal sabe ela que é a proxima vítima.

Agora, é claro que vamos dar aquela comparadinha básica do livro com a série, né? O livro é todo escrito em primeira pessoa, tudo do ponto de vista de Sookie, o que é até legal, já que a Sookie do livro é muito mais interessante do que a da série, porém, no livro não tem muitos dos personagens que existe na série (alô, cadê a Tara? Cadê a Jessica?)  e  na série também tem alguns personagens que não existem no livro (Alô True Blood, ficou difícil achar um sósia do Elvis Presley pra fazer o Bubba?). E pra fechar, as cenas mais legais do seriado, com Jason (irmão da Sookie) é claro, não existe no livro.

Eu ainda não consegui decidir do que eu gostei mais, se foi do livro ou da primeira temporada de True Blood (o primeiro livro corresponde a primeira temporada). Os dois tem seus altos e baixos, mas no geral eu acho que cada um é bom ao seu modo. Talvez eu goste mais da série porque eu fico vendo aquele mar de homens lindos em cada take… * Suspiros intensos ao se lembrar de Eric*

Como eu adoro história com vampiros, indo de Anne Rice até a saga crepuscular de Steph Meyer, as Crônicas de Sookie Stackhouse foi uma super boa pedida pra mim. Mas eu confesso que se a pessoa estiver esperando ver/ler histórias de terror pra arrepiar todos os cabelinhos do braço, não leia nem assista a série, fiquem nos filmes de 80tistas de Drácula, nos cenários do RPG Vampiro, a máscara, e nas histórias de Anne Rice. Em True Blood/Vampiros do Sul não tem muito disso, você chaga muito mais a rir do que sentir medo, mas é muito interessante. Eu super recomendo!

Agora eu vou começar a ler o segundo livro da série, Vivendo Morto em Dallas, que é equivalente a segunda temporada de True Blood e assim que eu terminar de ler, esperem uma nova resenha por aqui!