DanaPeper's Blog


Resenha: Cinema de final de Semana (Up e Wall-E)
novembro 27, 2009, 12:01 am
Filed under: filmes, resenhas | Tags: , , , , , ,

– Spoooooilers! Muitos spoileeeers!!! –

Eu acho que eu era o único ser humano do mundo que ainda não tinha visto Up – Altas Aventuras e Wall-E! Como esse fim de semana não teve a costumeira sessão de RPG (nem sábado e nem domingo, imaginem como estou seca pra jogar…), Dudu resolveu fazer uma maratona de cinema de final de semana, sem ir pro cinema! Começou com Paranormal Activity (que prometo falar em outro post!) no sábado, e no domingo optamos por algo mais light como 500 Days of Summer e o esse combo da Disney-Pixar!

Bem, pra começar, eu odeio a Disney, o único filme que eu sou apaixonada é a A Espada era a Lei. Então, no começo, fui super chata dizendo que não queria ver nada que a Disney tivesse metida no meio, mas quebrei a cara, é claro! Sorte minha que tenho um namorado que não me escuta, ele enfiou o DVD no PC e quando me dei conta, já tava me acabando de chorar com a historinha de Carl e Ellie!

Eu não tenho nem palavras pra explicar o quão bom Up é! Além do filme ser perfeito graficamente, a história é uma das mais lindas que eu já vi! O “conto de fadas” moderno fala sobre o casal Carl e Ellie que se uniram por causa do seu espirito aventureiro quando crianças, encontraram o amor na juventude e envelheceram lado a lado. As cenas deles do começo já é o suficiente pra vocês se debulharem em lagrimas, quer dizer, se vocês forem molengas que nem eu. Eu me acabei no filme inteiro… Mas cortanto o papo fiado de quanto eu chorei no filme, vamos ao que interessa, falar sobre o filme.

Ellie sempre teve um sonho, que era se mudar para o Paraíso das Cachoeiras, mas nunca foi concretizado, pois sempre havia algo mais importante pra comprar e eles sempre acabavam quebrando o vidrinho de moedas pra outras coisas. Mas Ellie acaba morrendo de velhice e Carl, que é um vendedor de balões, resolve concretizar o desejo de sua amada em levar a sua casa para o Paraíso das Cachoeiras. Como assim levar a casa? Simples, ele improvisa um dirigivel com milhares de balões de gás, que arranca a casinha do chão e leva ela para o destino tão apreciado por ele e a sua amada.

A premissa do filme é basicamente essa, eu não quero contar todo, se não perde a graça pra quem não viu! Mas tem muitos personagens legais, como o escoteiro Russell, que acompanha o velhinho Carl na aventura, sem saber nem pra onde está indo, e o cachorro Dug, que tem uma coleira que traduz o seu pensamento em fala! Super recomendado!!!

Eu comenti uma grande besteira, assisti primeiro Up pra depois ver Wall-E. Então, eu não posso dizer que eu adorei Wall-E… O filme é muito bem feito, a animação é digna de filme de Sci-Fi, mas a historinha, eu achei muito bobinha… Não prendia a minha atenção nenhum pouco, nem me fazia rir, nem nada… Mas não culpem o filme, culpem a mim que ficou abestalhada depois que acabou Up!

O filme conta a história de um Planeta Terra que ficou ficou inabitado depois que foi soterrado de lixo por nós humanos e uma grande corporação chamada BNL solucionou o problema, levando todos os habitantes da Terra para o espaço, onde tudo é automotizado e você não precisa mais nem andar, tem uma cadeirinha automatica que te leva pra onde você bem entender! E claro, nesse futuro somos todos gordos e nem sabemos andar, pois nunca precisamos! Mas aqui na terra ficou Wall-E, que é um robozinho que fica compactando o lixo, ele é a única maquina que sobrou aqui, todas as outras acabaram pifando com o tempo.

Wall-E é fascinado pela cultura humana e fica coletando todo tipo de troço que ele acha interessante. E em uma das suas andanças, ele acha uma plantinha, ele tira ela da terra, coloca dentro de uma bota e leva pra casa. É ai que a coisa começa, pois uma robô chamada EVA aparece aqui, procurando algum tipo de vegetação a mando da BNL. Wall-E se apaixona por EVA e acaba dando a plantinha pra ela, com esperança de que ela entrelasse os dedinhos dela com os dele (parte fofa do filme, o que me lembrou da minha personagem de EdP, Val, que entrelaçou os dedinhos com o futuro namorado na praia, cena linda, também pra outro post). Uma nave leva Eva de volta e Wall-E segue a amada para a nave mãe da BNL, onde acontece toda a trama da história.

O filme é legal sim, eu gostei, mas não me apaixonei como eu vi que várias pessoas adoraram… Recomendado também. Eu achei bom. E só. Sem “maises”.

Espero que tenham gostado das minhas resenhas de filmes do ano passado! Juro que vou procurar fazer a resenha de filmes mais novos, como Lua Nova (que vi na segunda), Paranormal Activity e 500 Days of Summer!

Anúncios


Initial D Anime x Initial D Filme
agosto 13, 2009, 3:16 am
Filed under: anime, filmes, nerdelancias, resenhas | Tags: , , ,

Deu pra notar que eu estou numa Vibe Street Race geral né? Project Torque, Initial D… Mas tudo é por causa de EdP (Estrada da Perdição) que Dudu está narrando aos domingos, mas isso é história pra outro post… Anyway… Eu sei que quando fazem um filme de um livro/anime/série a probabilidade de ser bom é quase nula, mas eu andava mal acostumada com ótimas adaptações (vide a saga Crepuscular da Stephy Meyer [íííííntimaaaa] que eu acredito que o segundo filme vai ser mais bombastico ainda do que o primeiro) na telona e resolvi baixar o filme da minha mais nova paixonite que é Initial D. Pois bem, foram quase três dias de espera (obrigada Cabo Telecom) porque eu só achei o filme em alta definição e logicamente eu estava muito ansiosa pra acabar logo e assistir. Sonho meu achando que o filme prestava…

Assim, a fotografia é absolutamente fantastica. Eu não sei onde diabos eles arrumaram tanto lugar lindo naquele Japão pra filmar tantas tomadas perfeitas!  E sim, as tomadas são exatamente iguais no anime! Isso me deixou de cabelo em pé! Outra coisa que me deixou embasbacada no filme: os carros, lógico! São cópias fiéis dos carros do anime! E segundo o Edupédia os carros foram fabricados exclusivamente pro filme, já que a maioria já tinham saido de linha, a Toyota fabricou 5 AE-86 exclusivamente pro filme, já que os achados não estavam em condição pra serem usados, ou seja, rolou muita graninha da Media Asia Group ai!

Agora o equivalente a história de Initial D, pra mim, eles se ferraram quando tentaram adaptar. Os personagens não são nenhum pouco parecidos com os do anime, salve o Itsuki, melhor amigo do Takumi, pra mim nenhum é bem fiel ao anime. Fizeram do pai do Takumi um bêbado idiota, coisa que o Bunta Fujiwara não é. A Mogi, par rumantico do Takumi, é bem sem sal, se bem que ela no anime é do mesmo jeito… Então, nota 7 pra ela! Não tem o líder dos Akina SpeedStars (ou Ispiduistar, como eu gosto de chamar!), o Iketani, o líder é o próprio Itsuki, mô doido! Outra coisa, cade os irmãos soooo sexy Takahashi? Só tem o Ryosuke? Que por sinal… Que chinesinho lindo era aquele que colocaram pra interpretar ele? Uy, babei!

Uma coisa que também me deu agunia do começo até o fim do filme. A lingua chinesa! Eu assisto muito anime, por isso me acostumei com as palavrinhas em japonês, até escuto umas coisas e sei o significado (“niguero” = não vai escapar – O que Rukia mais fala em Bleach!), mas em chinês… Oh god

É claro que a história é mil vezes mais legal do que os Fast & Furious da vida, mas em comparação ao anime no quesito história, deixou a desejar. Eu ainda não terminei de ver as 4 temporadas do anime, mas o pouco que vi me apaixonei pela saga do Fujiwara Takumi em seu Toyota Trueno GT-APEX! Eu recomendo demais o anime (pra quem gosta, claro…), já o filme…